QUAL É A SUA DESCULPA?

QUAL É A SUA DESCULPA?
Faça Missões! Obedeça a Ordem de Jesus Cristo.

Seguidores

O que você procura?

31 de agosto de 2011

AVIVAMENTO MISSIONÁRIO E DESPERTAMENTO DE CHAMADO AINDA EXISTEM?

FOTO GOOGLE

Falar de Missões é sempre muito delicado. Nem todos compartilham a mesma visão. Alguns acham que seu ponto de vista é o correto e que o do outro deve ser descartado, pois o outro não possui as experiências e lideranças que aquele tem. Nossa intenção com este texto não é dizer que temos a razão absoluta, mas despertar em todos que trabalham com missões... Aquele ardor missionário dos anos 90, para que juntos possamos fazer do Século XXI – Um celeiro de despertamento de “Chamados”.

Só que não conseguimos aceitar. Simplesmente, não conseguimos ouvir algumas pessoas falarem de Missões com tanto descaso e rejeição, por conta de alguns testemunhos mal dados que ouviram. Tomaram aquele momento ruim como universal e banalizaram o real sentido da obra missionária. Acabam vendo Missões como se fosse um conto de fadas.

Então, incomodados, nós escrevemos este artigo que pensamos ser um dos mais importantes que já postamos aqui no UMA VISÃO MISSIONÁRIA. E, antes de iniciarmos de fato nossas críticas e tentativas de solução ao problema de “Avivamento Missionário” na igreja de hoje, devemos dizer que quando eu, Patrícia Telles, aceitei a Jesus em 1993 e no ano seguinte tive meu primeiro contato direto com um Congresso Missionário, percebi que era isso que ardia em meu coração... Avivamento! Despertamento de “Chamado”, necessidade de treinamento e estudo da Palavra de Deus sem esquecer de oração e jejum para vencer as “Batalhas Espirituais”. Esse é o foco do nosso blog.

Os Anos 90 foi uma época em que muitos foram despertados para realizar Missões não só aqui no Rio de Janeiro, mas em muitas regiões do Brasil e do Mundo. O Brasil, naquela época, tornara-se uma referência no envio de missionários. Era chamado de “um dos maiores celeiros missionários do mundo”. Entretanto, hoje, que temos a tecnologia a nosso favor, ajudando no envio de missionários ao interior do Brasil e ao exterior... Temos um regresso, uma falha, uma tristeza... Uma baixa significativa no despertamento missionário, pois não conseguimos fazer os membros de nossas igrejas entenderem que precisamos deles como obreiros nesta obra. Não há mais recrutamento por decisão própria, por “chamado de Deus”. Há recrutamento por qualidade de profissão e olhar do líder na necessidade do envio.

Teria sido um modismo o despertamento dos Anos 90? Já lemos livros, participamos de cultos missionários, conferências e congressos e nem de perto, conseguimos enxergar o recrutamento de obreiros com a facilidade de antigamente. Seria uma crise de vocação? Ou não se fala mais em vocação e sim em “financiamento” dos que lá já estão? E aí, nós do UMA VISÃO MISSIONÁRIA estamos nessa situação, porque nosso espaço divulga os missionários que já estão no campo de ação, mas pouco falamos de preparação de obreiros. Preparação esta que se dá em bons seminários.

Sinceramente, não há mais qualidade em muitos seminários e dizemos isto baseados em informações de amigos que já fizeram. De amigos que fazem e que querem fazer um estudo Teológico. Poucos possuem estrutura espiritual e bíblica para estarem em funcionamento. A reclamação é a mesma: os Seminários se multiplicaram, mas a qualidade baixou muito e o preço é absurdo em muitos deles que deveriam ser acessíveis a todos. Parece que perderam a visão da preparação, porque começaram a atender às necessidades dos que se inscrevem. Se eles trabalham ou estudam durante o dia, seminário para eles deve ser à noite. O problema é que o tempo reduzido reduz a qualidade de treinamento e tudo fica muito no teórico. Muitos alunos não entenderam o “chamado”, mas fazem seminário por status... Para receberem uma “promoção” de cargo em suas igrejas, para serem honrados por onde passarem... O despertamento vocacional... Não conhecem apesar de ainda existir em nosso meio cristão.

Com isso, vários seminários teológicos ampliaram seus cursos noturnos para adequar a procura destes candidatos a “viver” Missões. As organizações de treinamento sofrem para levantar candidatos ao envio missionário, porque muitos deles saem despreparados de alguns destes seminários. Muitos querem só o Diploma e nem de perto anseiam estar no contexto real de Missões. Quando são direcionados por seus líderes vão por obediência e não porque sentiram o “Chamado”.

O que me parece é que muitos de nós esquecemos que recebemos a ordem do “IDE”. Ordem que é para todo membro de igreja, quer seja ele um profissional, um obreiro - pregador da Palavra de Deus – ou um novo convertido, pois o chamado ministerial é uma realidade bíblica que não deve ser contestada. Só que basta conversar com muitos membros de nossa igreja (não todos) e de outras igrejas também, para se perceber que o conceito errado continua: “Missões é um assunto chato!”, “Missões é perda de tempo em nossos dias.”, “Não aceito como organizam Missões nas igrejas”. Frases como estas que nós ouvimos, não de um, mas de vários obreiros e dirigentes de congregação de vários lugares... Inclusive do ministério de minha igreja. Uma visão freada pelo “Eu sei o que estou falando”!

E de quem é o erro? Sinceramente, não queremos saber! Só queremos despertar em nós e em você: uma visão crítica sobre este assunto e, ao mesmo tempo, uma visão missionária baseada em “despertamento de chamado”, para que possamos parar de achar só o nosso umbigo e passarmos a olhar missões como uma ordenança bíblica do “IDE”... Um sinônimo de evangelismo eficiente e não de arrecadação de dinheiro inadequada.

As igrejas e quando dizemos igrejas (não se leiam todas) vivem um cotidiano muito surreal. Ficam presas a evangelismos comuns como o de simplesmente entregar um folheto. Só que até para entregar um folheto, você precisa conhecer o conteúdo que se encontra nele. Já participamos de evangelismo que a vontade era de voltar para casa. Primeiro: não havia estratégia. Segundo: tinha hora marcada para acabar e terceiro: quando uma alma pedia ajuda... O líder do evangelismo não sabia o que fazer. Isso, em nossos dias... É inadmissível.

Estes problemas acontecem, porque se vive no contexto local sem prestar atenção à cultura popular. É mais fácil colocar a Bíblia debaixo do braço e entregar um folheto sem olhar para trás do que parar para conversar com a pessoa que lhe dê chance de explanar o conteúdo. Da mesma forma que o candidato a Missões prepara-se com estudos transculturais para entender o local para onde será enviado, o participante de evangelismo local deve conhecer a cultura do bairro ou vizinhança a qual sua igreja está inserida.

Tudo isso tem a ver com “despertamento de chamado”. Precisamos de missionários que saiam de suas comodidades e se dediquem integralmente a cumprir o “chamado” em lugares onde ninguém está, porque para evangelismo local sempre haverá um membro de igreja disposto a participar. A perspectiva vocacional missionária no âmbito transcultural não pode morrer. E para isso, a tarefa missionária é para todo cristão. Não é preciso ser seminarista, nem ter participado de um culto avivalista. Somos todos responsáveis pela proclamação do evangelho de Jesus. A vocação missionária acontecerá naturalmente em quem tiver o “chamado” para ser enviado pela igreja.

O importante é que não se tenha missões como um modismo, pois os testemunhos serão vistos como chatos e os cultos missionários acabarão em monotonia nas igrejas, costumes sem direção espiritual, sem visão... Causando o desconforto de muitas pessoas ao se lembrarem de missionários que deixaram em nossos púlpitos um testemunho que mais parecia um desespero de comunicação. 

Como assim? Imagine-se num encontro missionário. Você quer ouvir as experiências daquele que veio de longe, que veio “inspirar” alguém a tornar-se um missionário internacional. E de repente, você se frustra, pois alguns só falam em tragédia, em sofrimento, em dificuldades e privações de conforto. Isto é, em vez de exaltarem as coisas boas que lá viram... Se prendem as experiências que o Senhor reservou a ele e que não quer dizer que vá acontecer com todos. Uma experiência negativa que em vez de inspirar e despertar o seu “chamado” lhe faz recuar e desistir do treinamento.

Ser missionário não é status como alguns pensam. Trabalhar com Missões não é só arrecadação financeira, apesar de a mesma ser altamente necessária para manutenção de obreiros em lugares distantes. Ser missionário é comover pessoas. É inspirar vidas a conhecerem o Senhor Jesus. É buscar meios de levar ações sociais aqueles que não podem tê-las por conta do local a qual estão inseridos. Isto é ser missionário. É ter uma visão da proclamação do evangelho de forma simples e eficaz, de modo a não criar crises de interesse ou prioridades que possam afetar aquele que anseia desenvolver o “chamado” uma vez que foi despertado pelo Espírito Santo de Deus.

Lemos uma citação que repito muito e que a deixarei entre aspas: “a maioria dos problemas da igreja brasileira tem sua raiz no dinheiro”. É verdade! O pastor pode ter visão missionária, mas se a igreja não contribui com o crescimento de Missões... O investimento é ligado à falsa moralidade. As igrejas de hoje em dia não se preocupam muito com Missões. Talvez, a igreja sede de algumas até tenha esta visão, mas as suas filiais estão longe de acompanharem tal pensamento e acabam por distorcer o trabalho de líderes de missões que tentam desempenhar um bom trabalho. Tudo por falta de comunicação. Por falta de “avivamento missionário”.

O trabalho missionário acaba sendo visto como uma ação secular ao espiritual da igreja. Quanto na verdade, deveria ser visto como um ato prático da ordenança do “IDE”. Os discursos que ouvimos em congressos missionários atuais estão longe de serem parecidos com os que ouvíamos nos anos 90. Os de agora, não visam mais despertar “chamados”, e sim expor situações de experiências do pregador e em arrecadar ajuda financeira para o mesmo.

Os discursos não oferecem alternativas vocacionais. Não mobilizam voluntários. Não expõem treinamentos. Não possuem intenção de preparar novos vocacionados. Seus discursos são... “Sou missionário (a) em tal lugar...”, “Tenho experiência em tal situação...”. O tal congresso acaba sendo um avivador de crentes e não um “despertamento de chamado” ou “avivamento missionário” aos que precisam conhecer Jesus. Eles que esperem não é mesmo? “Eu não vou. Eu não tenho o chamado. Isso não é para mim.” Uma pena!

Enquanto nos Anos 90, o Brasil era considerado um “celeiro de missionários”, hoje, início de Século XXI, o Brasil corre um grande risco de ser reconhecido como um país que não oferece alternativa vocacional ao celeiro que possui. O Senhor Deus ainda deseja chamar seu povo. O Senhor Jesus deixou clara essa intenção através do “IDE”. Precisamos apresentar propostas mais claras, mesmo em nossas fragilidades e limitações financeiras. Os irmãos, membros de igrejas, precisam ouvir sobre Missões de forma mais direta e acessível às suas realidades. As oportunidades missionárias devem ser levadas ao púlpito de forma clara. Só assim, a vocação aparecerá.

Se os congressos missionários forem eficazes nesta premissa... Com certeza, o “avivamento missionário” voltará com mais força e tornar-se-á um “despertador” de talentos. Desenvolverá de forma responsável com seus treinamentos, o talento de pessoas que foram “chamadas” a desenvolverem a sua vocação missionária. O envolvimento evangelístico só terá a ganhar e o conhecimento transcultural tornar-se-á referencial neste processo para acabar com a “crise” vocacional que se instalou em nosso meio.

Concluímos, dando os parabéns aos pastores presidentes que não deixam Missões morrer em suas igrejas e implorando ao Senhor Jesus que os ilumine com discernimento para que reconheçam as ervas daninhas que comprometem seus ministérios. Só assim, os congressos missionários terão avivamento eficaz no despertar do “chamado” missionário. Pois, assim como o Senhor chamava antigamente, Ele continua chamando agora. Setembro, mês de Missões no Brasil e no Mundo, que façamos deste mês o reinício de um verdadeiro “avivamento missionário”.

25 de agosto de 2011

MISSª. BEATRIZ FARIA - UMA DESBRAVADORA DE ALMAS NA ÁFRICA DO SUL.

ALIMENTANDO REFUGIADOS ANGOLANOS EM CAPE TOWN.

EM 2009 POSTEI UM ARTIGO SOBRE O "CHAMADO", O "TREINAMENTO" E OS TRABALHOS REALIZADOS PELA MISSIONÁRIA BEATRIZ FARIA NO BRASIL E NA ÁFRICA DO SUL. MUITOS LEITORES PEDIRAM QUE ATUALIZAÇÕES SOBRE ESTA OBRA EM CAPE TOWN, NA ÁFRICA DO SUL.

SEGUE ABAIXO, A CARTA ENVIADA PELA MISSIONÁRIA BEATRIZ FARIA AOS SEUS MANTENEDORES. AQUELES QUE PUDEREM, NÃO DEIXEM DE COLABORAR... O TRABALHO É SÉRIO E MUITAS ALMAS TEM SIDO GANHAS COM ESTE TRABALHO.

***
"Ola Irmãos, espero encontrá-los bem com a Graça de Deus. Aqui começamos essa semana o Ramadã, mês de jejum dos Muçulmanos, a cidade fica mais agitada e as noites também, pois o jejum deles consiste em fano comer durante o dia e comer a noite toda ate começar de novo o Jejum e isso será o mês inteiro. Normalmente também um mês que ficam mais vulneráveis e tentamos aproveitar essas oportunidades também para uma maior aproximação, portanto orem por nos pra que sejamos usados no meio desse povo sem Jesus.

Chegou mais um casal de missionários para a Escola de Inglês que é uma escola para formação de Missionários no aprendizado do inglês e no primeiro mês eu fico encarregada de mostrar como funciona tudo na cidade, na escola, na igreja, procura de casa e estamos na correria com isso, já entregamos um formulário para tentarmos alugar uma casa que gostaram, mas aqui às casas são alugadas rapidamente, estamos orando pra que consigam esse local que fica perto de escola, igreja e tudo o que precisam, estou cansada por ter que ficar o dia todo correndo atrás de todas as coisas com eles, mas muito feliz porque é um casal muito tranquilo e feliz porque Deus tem nos aberto portas para que consigam tudo rapidinho. 

Esse primeiro mês ou às vezes, dependendo do missionário, os três primeiros meses são pesados e cansativos e de uma responsabilidade muito grande resolver todas as coisas para os que chegam,orem para que consigam a casa que viram e gostaram e pelo aprendizado do Inglês que embora estejamos em um Pais de língua Inglesa, não é fácil.

Esse tempo aqui tem sido de lutas sim, mas acima de tudo tem sido de aprendizado, de crescimento, de bênçãos, Deus tem aberto portas onde nem mesmo esperamos e isso porque as pessoas ouvem falar do nosso trabalho, da Embaixada da Família e fazem contato, nos procuram e caminhamos juntos, louvo a Deus por todas essas portas porque confesso que não esperei que tantas portas fossem se abrir em tão pouco tempo, agora é orarmos pra que tenhamos sabedoria para lidarmos com essas oportunidades, pra que sejamos bênção e sejamos abençoados. Trabalho não falta, falta mais pessoas para nos ajudarem, precisamos sempre de pessoas dispostas a ser usadas por Deus seja onde for e de que forma for.

Tenho acompanhado as Angolanas que duas delas são minhas "filhas”, estão super triste porque meu visto esta terminando, também estou, mas tudo que quero sempre é que meu coração e minha vida estejam voltados para a Vontade de Deus que é Boa, Perfeita e Agradável, existe tempo para todas as coisas e tentamos cumprir tudo da melhor maneira possível e como disse Não esperei tantas bênçãos e tenho visto a cada dia que nosso Deus faz alem do que pedimos ou pensamos.

Quero agradecer a cada mantenedor e intercessor que tem sido fieis e tem me abençoado nessa terra, louvo a Deus pela vida de vocês e todas as bênçãos aqui, todas as portas que se abriram e estão ainda se abrindo,é bênção de vocês também, se vocês não caminhassem comigo, nada disso se realizaria."

Deus abençoe, continuemos caminhando juntos por Cristo e em Cristo.
Grande Abraço,
Miss. Beatriz Faria
(Dir. Internacional da Embaixada da Família) - Servindo Ao Senhor na África do Sul e onde Ele mandar.

Desejando contribuir com este Ministério:



E-mail´s: biafrica@hotmail.com (Usado com mais frequencia);
biaafrica@yahoo.com.br;  biafrica@globomail.com 

BANCO Bradesco
Ag. 0543-6
C/POUPANÇA 86589-3


Conta da Embaixada da Família 
Banco do Brasil
Ag. 0140-6
C/C 48.532-2

22 de agosto de 2011

MISSª. JUSSARA DE MACEDO - UMA MISSIONÁRIA QUE LEVA ESPERANÇA.



Gostamos muito quando podemos postar um artigo de um missionário (a) comprometido (a) com a Obra do Senhor. Pessoa espiritual, que se dispõe a ajudar o seu próximo sem pensar em ficar preso em igreja dirigindo culto ou ministrando para ganhar uns trocados. Amamos divulgar os que saem das quatro paredes e não dispensam um treinamento. Pessoas que não dispensam fazer de seu chamado algo produtivo para o outro, sem se importar com o próprio umbigo em busca de uma carteira missionária.

Adoramos ao Senhor Jesus quando conhecemos pessoas como a missionária Jussara de Macedo (HAJA HOPE), que desde 1994 serve a Jesus de uma maneira muito peculiar. Não vê esforços, não olha dificuldade, se dói com a dor do outro, se integra à cultura alheia e se dispõe a ajudar de maneira a ganhar almas ao Reino de Deus. Fico encantada! Não por ela, mas pelo que faz pela Obra do Senhor, pois a Glória é dEle e ela fica com as bênçãos provenientes de suas belas ações.

Haja Hope é uma guerreira que se preparou e continua em constante atualização com eventos missionários, para continuar fazendo Missões de maneira coerente e responsável. Estudou Missiologia na Instituição de Ensino APE – Associação Promotora de Evangelismo. Fez cursos de Espanhol, arranha um Inglês e, no momento, estuda Francês. É ligada a EMAC – Escola de Missões Ágape de Cristo, onde participou de vários treinamentos evangelísticos, utilizando-se da arte teatral e da educação de crianças.

A EMAC através do “(...) teatro, seminários, palestras e escolas tem como objetivo treinar e forma novos ministros de Missões para ganhar almas para o Senhor Deus (...)”, afim de conduzi-los e incentiva-los a terem o caráter de Cristo e a praticarem a Palavra. Buscam viver o que ministram e compartilham com os irmãos para ir além das fronteiras.

Crianças de Bom Jesus da Lapa na Bahia.

Com este tipo de treinamento, Haja Hope viajou pelo Rio de Janeiro e demais estados do país. Uma das cidades que a marcou muito foi Bom Jesus da Lapa – BA, onde presenciou uma guerra espiritual muito intensa, chegando a ficar em 36 horas em oração, em março/2006, para buscar uma resposta de Deus sobre como lançar estratégias de evangelização.

Missionária Jussara e as crianças no Níger.

Ano passado... Nossa irmã foi ao Níger, país africano muito pobre. Experimentou a cultura local e levou Deus através de suas ações missionárias naquele lugar. Contraiu Malária e ali foi cuidada. Não desistiu da obra. Retornou ao Brasil para continuar seus treinamentos e em breve viajará por mais lugares. Veja as fotos abaixo e se puder... Acesse o blog da EMAC e veja os trabalhos realizados... Busque a Missionária Haja Hope no Facebook e conheça de perto o testemunho desta bênção de Deus.

Ano passado... Nossa irmã foi ao Níger, país africano muito pobre. Experimentou a cultura local e levou Deus através do projeto de Nutrição que o Ministério Guerreiros de Deus, administrado pelo ex-paquito, hoje pastor, Alexandre Canhonhi desenvolve naquela localidade há dez anos.

De suas ações missionárias naquele lugar: destaca-se o fato de ter sido curada de câncer. Mesmo contraindo Malária não desistiu da obra. Retornou ao Brasil para continuar seus treinamentos de evangelização entre o povo árabe em Foz do Iguaçu e Paraguay. Em breve viajará para o Acre para a Caravana da Paz (uma expedição entre índios por dez dias). Em dezembro retornará ao Níger com três de suas alunas da EMAC - RJ e por mais lugares que o Senhor desejar.

Haja Hope é membro da Igreja Batista Menehah em Santa Cruz - Rio de Janeiro - RJ) - Pr. Pedro Pires de Jesus.



BANCO BRADESCO S/A
AGÊNCIA: 212 - 7 
C/CORRENTE: 111651 - 7 
Favorecido: ESCOLA DE MISSÕES ÁGAPE DE CRISTO
 ~ 
BANCO BRADESCO S/A
AGÊNCIA: 212 - 7
C/POUPANÇA: 85539 - 1
Favorecido: JUSSARA DE MACEDO ARAÚJO

16 de agosto de 2011

ADECIN - ASSEMBLEIA DE DEUS EM CIDADE NOVA.



A ADECIN - Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Cidade Nova - O Ministério do Monte - fundada em 09 de fevereiro de 1966 - foi congregação da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Mesquita, Pastor Presidente Severino Amador, que deu emancipação ao Pr. Daniel Ribeiro. 

Em 31 de dezembro de 1984, o Pastor Manoel Antonio Ribeiro tomou posse, cumprindo o Ide de Jesus e está como Pr. Presidente desde então. Após 45 anos de existência temos 52 filiais no Estado do Rio de Janeiro e Minas Gerais. 

São 17 filiais nas comunidades do Rio de Janeiro, onde fundamos um Centro de Recuperação para dependentes químicos. Na ABEN - Associação Beneficente Daniel Ribeiro ou CERCIN (Centro de Recuperação de Cidade Nova, como é mais conhecido), os jovens recebem abrigo e alimentação, depois passam por um acompanhamento psicológico, social e espiritual, ficando libertos das drogas. 




O endereço da nossa sede fica à Rua Santa Maria, 28 – Cidade Nova (próxima a Estação do Metrô Praça Onze). Entretanto, devido a obra de uma grande empreiteira atrás dos muros de nossa igreja, nós tivemos problemas com rachaduras em nossas paredes e chão. A Defesa Civil do Rio de Janeiro achou por bem, interditar o Templo para evitar um abalo maior que poderia afetar as estruturas. Nosso Pastor Presidente entrou em acordo com tal empreiteira que alugou um outro espaço, para que pudéssemos realizar os cultos até que a empresa cuide da reestruturação do templo em Cidade Nova.







Por conta disso, provisoriamente, estaremos alocado à Rua Joaquim Palhares, 105, Estácio (próximo a Estação do Metrô Estácio).




Somos conhecidos como O Ministério do Monte, porque compramos um monte e o consagramos para orar em Suruí, município de Magé no interior do Rio de Janeiro. Lá, levamos os pedidos de oração que recebemos em nossa igreja sede e filiais para intercedermos por  curas, libertação e milagres para a Glória do Senhor Jesus através do nosso ministério.

A ADECIN tem um trabalho muito forte em evangelização e missões através da SEMIADECIN (Secretaria de Missões de Cidade Nova), que ano após ano trabalha na divulgação do Nome do Senhor Jesus através de Congressos e cultos missionários, conseguindo sustentar vários missionários dentro e fora do Brasil.


QUERENDO ENTRAR EM CONTATO COM NOSSO MINISTÉRIO:

Pr. Manoel A. Ribeiro

Email: prmanoel.ribeiro@gmail.com

15 de agosto de 2011

Pr. VALDECI QUEVEDO E A OBRA EM LIMA NO PERU.


Este artigo traz notícias sobre a Família do Pr. Valdecir e Missionária Cristina Quevedo, que fazem missões em Lima no Peru. Segue abaixo a transcrição de uma carta enviada por e-mail em Julho deste ano, que esqueci de postar na época.

Fica meu pedido de desculpas a esta família abençoada e o meu desejo em conhecê-los pessoalmente, já que um dos preletores do Congresso de Missões da ADECIN - Assembleia de Deus em Cidade Nova, aqui no Rio de Janeiro em setembro deste ano será o Pr. Valdecir Quevedo.
*********************************************************************************


Lima, 28 de Julho de 2011.

“Sea con vosotros gracia, misericordia y paz, de Dios Padre y del Señor Jesucristo, Hijo del Padre, en verdad y en amor.”
2 Juan 1:3

Findamos mais um mês pela graça de Deus, e queremos mais uma vez compartilhar com os amados irmãos as maravilhas do Senhor. Continuamos trabalhando, fazendo a nossa parte, com a certeza que o “Dono da Obra”, tem atuado nos corações através do seu Santo Espírito. Estar no campo no missionário não é nada fácil, como alguns muitas vezes imaginam, encontramos no dia a dia muitas dificuldades, provas, obstáculos, mas que são superados pela graça e misericórdia que são derramadas sobre nossas vidas, por aquele que nos chamou. E assim, prosseguimos,vendo a cada dia o respaldar do Senhor.

Como sempre, cada mês é um mês de muitas atividades, os trabalhos nas congregações continuam sempre sendo realizados com muita intensidade, seja com os irmãos ou com as crianças. Estamos aproximadamente com 14 cultos semanais, o que nos exige muito, porque mesmo que algumas congregações já estejam com seus encarregados próprios, os irmãos desejam ver a família pastoral, pelo fato que a maioria dos trabalhos foram fundados por nós, o que faz surgir naturalmente um apego maior dos irmãos.

Neste mês de Julho, inauguramos uma nova congregação chamada: Mi Perú, é um novo desafio, mas a obra não pode parar. O Pb. Edgar que é o encarregado de Pachacutec, também cuidará desta congregação, tivemos no dia da inauguração a presença de 15 visitantes não crentes, vizinhos desta localidade, o que alegrou nosso coração e pedimos oração em favor deste novo trabalho.

Este mês também apoiamos com a nossa presença a inauguração da local da igreja de Surco, pastoreada pelo missionário Alexandre Flausino, revemos ao Pr. Alberto Resende e aos demais pastores que vieram lhe acompanhando desde Brasil, o que para nós foi uma grande alegria, logo depois de este evento o missionário Valdecir viajou para participar da Escola Bíblica em Puerto Maldonaldo, que foi de grande bênção.

A obra missionária não é feita somente pelo trabalhador, o missionário que está no campo, e sim por todos aqueles que permitiram que nascesse em seus corações, algo que esta no coração de Deus, sempre ouvimos falar que missão está no coração de Deus, mas concordamos plenamente com nossos irmãos de São José dos Campos, que dizem que missão é o próprio coração de Deus!!!

A missão para ser bem sucedida depende de o total agir de Deus, da entrega total do missionário, e também da completa união daqueles que não foram chamados para ir, mas para respaldar: orar, contribuir, abençoar, e é por valorizar você querido irmão abençoador que a cada dia trabalhamos com todas as nossas forças, fazendo a nossa parte, e oramos sempre, para que Deus possa abençoar a cada cooperador da obra missionária, a cada igreja que nos apóia e a nossa igreja mãe (IADV) que nos mantém no campo com tanto cuidado.

Somente a eternidade revelará o trabalho realizado por cada um, seja no campo missionário ou na igreja local, e todos receberão a recompensa devida segundo as suas obras.
Seguiremos trabalhando e orando por vós!
Em Cristo...


Missionário Valdecir, Cristina, Kethelly e Kalil David. 

Pr. PAULO WEGNER - MISSÕES NO SERTÃO.


Conhecer o Pr. Paulo Sérgio Wegner, membro da Igreja Batista Nacional do Cajuru é uma surpresa boa deste ano de 2011. É muito difícil encontrar alguém no Brasil que queira fazer Missões dentro de nosso território nacional. 

Quando falamos de Missões, os candidatos ao campo missionário preparam-se porque tem o sonho de ir pregar fora do país; e não adianta dizer que não é verdade! São poucos que se especializam para continuar no Brasil. É fato!

Só que a realidade de nosso país é muito escabrosa. Os grandes centros urbanos recebem as congregações das igrejas sede e fazem Missões por ali mesmo. Dificilmente, adentram às vilas e lugarejos distantes. Às vezes por falta de condução, outras vezes por comodidade. 

Seguem abaixo fotos:






Se você gostou do trabalho deste servo de Deus, acesse o blog dele e conheça com mais profundidade neste trabalho no sertão: 

http://www.paulowegner.blogspot.com

10 de agosto de 2011

COMUNHÃO - UMA PRIORIDADE DA IGREJA.


A necessidade de Missões é iminente, mas necessário é que todos que trabalhem nesta área tenham comunhão e unidade. Só assim, nós conseguiremos que novos missionários sejam formados e treinados para colocar em prática o chamado, o amor e a paz que geram unidade.

Devemos ser claros de que essa atitude não é uma invenção, mas uma realidade, pois a Igreja do Senhor Jesus foi estabelecida para comunhão fraternal. Isto é, para o exercício desta comunhão entre os crentes. Comunhão é uma palavra grega koinonia que se refere a um relacionamento espiritual, pessoal e social entre os membros de uma comunidade cristã. Essa comunhão fraternal vai muito além de um cumprimento, pois é uma troca de envolvimento na vida cristã.

Romanos 12.15 - “Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram” e Gálatas 6.2 - “Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprires as leis de Cristo”. São bons exemplos desta unidade que citamos. Na igreja primitiva, esse parecer era levado a sério, pois todos tinham tudo em comum como se percebe em Atos 4.32-4 - “E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns”.

Tendo em vista este parecer bíblico, quem visa trabalhar com Missões deve intensificar e fazer tornar-se um ato de todo o dia a Comunhão e a Unidade em qualquer lugar que esteja. O êxito espiritual de cada cristão é resultado da busca por comunhão. Por isso, deve ser exercida no amor ao irmão, no companheiro, na solidariedade com o estranho, na justiça com o necessitado e na paz que promove a unidade entre todos.

Mas se essa unidade é rasgada pela falta de comunicação e pela falta de flexibilidade do líder de entender Missões na sua realidade... Fica difícil manter a comunhão, pois a “divisão” acontece e as rugas da fofoca, mágoa e indisciplina pesam atrapalhando a obra missionária.

Oremos para que esses contratempos sejam superados, pois uma igreja sem comunhão é uma igreja fora dos preceitos bíblicos e sabemos que COMUNHÃO deve ser a prioridade da igreja que incentiva Missões.

8 de agosto de 2011

Visão errada sobre Missões.



Participei de algumas conversas na semana passada sobre Missões com algumas pessoas. Saí estarrecida com o posicionamento que muitos tem deste trabalho que não visa somente falar de Jesus a quem não conhece, mas visa levar ajuda social e sustentabilidade a lugares e pessoas que precisam.

Infelizmente, a visão que se tem baseia-se em arrecadação de dinheiro para manter quem já está lá. Mas e os que ainda estão aqui? E os que precisam cursar um seminário, fazer um curso de primeiros socorros e sobrevivência e de conhecer a cultura local que é indispensável?

Como explicar a estes candidatos a Missões que não podem sair daqui, apenas porque tem chamada? Missões não é só chamada! Missões é treinamento. É obediência ao IDE.  Nada mais!

5 de agosto de 2011

SEMIPA - UMA AUXILIADORA DE MISSIONÁRIOS.



Segue abaixo um texto que não é meu. Pertence ao perfil da SEMIPA no site de relacionamento ORKUT, que transcrevemos aqui somente como meio de divulgação desta organização: 

Semeadores Missionários com Paixão pelas Almas (SEMIPA) é uma organização cristã sem fins lucrativos criada em 1992, com o objetivo de alcançar todos os povos com a mensagem do Evangelho de Jesus Cristo; despertar a Igreja de Cristo para obedecer ao mandamento declarado em Mateus 28:19,20. 

Também arrecada fundos para o envio e sustento de missionários no campo. No apoio dessa tarefa, realiza Conferências, trabalhos de despertamento e conscientização missionária nas Igrejas, além de publicar mensalmente o Informativo Paixão pelas Almas. 

SEMIPA atua, hoje, em diversas cidades brasileiras, bem como em outros países, levando todo o apoio que seja possível aos obreiros. 



ESCRITÓRIO DE SEMIPA FOI TOTALMENTE DESTRUÍDO. 

No último dia 12 de janeiro a região serrana do Estado do Rio de Janeiro sofreu o impacto de fortes chuvas. Uma das cidades fortemente atingidas foi São Jose do Vale do Rio Preto. Quando o Pr. Julio Cezar chegou para a oração matinal no templo da Assembleia de Deus de Águas Claras se deparou com as águas do Rio Preto atingindo a rua e subindo rapidamente. Com outros irmãos começou a lutar para salvar os equipamentos da igreja e do escritório de Semipa. Apesar do empenho de todos, o nível das águas foi muito além do imaginável, atingindo dois metros de altura. Com isto, poucos equipamentos da igreja foram salvos e todo o material de Semipa se perdeu, contando computadores, impressoras, notebook, projetor de multimídia, mobiliário, material de stands (livros, dvd's, bandeiras, etc), material do Curso de Capacitação Missionária, além de todos os arquivos dos missionários, fotos, etc.

A obra missionária não pode parar e a exemplo de grande parte da população, Semipa precisa recomeçar tudo. Se você se sentir tocado a nos ajudar neste reinicio, favor fazer seu depósito bancário em uma das contas bancárias (Banco Itaú Ag 6116 C/C 02263-0 / Banco do Brasil AG 3470-3 C/C 7406-3 / Banco Bradesco AG 2805-3 C/C 3806-7) e nos informar sobre sua doação. 

Nossos contatos são: contato@semipa.org.br, paixaopelasalmas@hotmail.com
Telefones: (24)2224 2448, (24) 8148 1781, (21) 7692 4152. 


Deixe seu recado no formulário do site ou no e-mail, ou envie SMS pelos celulares. Desde já muito obrigado por sua sensibilidade e resposta a nossa necessidade urgente. Ore também por todos os desabrigados e enlutados e por todos que não terão para onde voltar, por conta do desmoronamento de suas casas.

Conforme mencionado no texto acima os Semeadores Missionários com Paixão pelas Almas tiveram muitas percas, mas já podemos agradecer a todos que contribuíram para a reconstrução do escritório e proporcionaram a aquisição de novos materiais, como também, motivar aqueles que sentem o desejo de contribuir, pois: O TRABALHO CONTINUA.

Precisamos preencher as prateleiras que ainda estão vazias em nossa loja missionária, como também o depósito que precisa ser colocado em ordem, e o material do stand que usamos em viagens de conscientização missionária precisam ter seus itens adquiridos novamente. Desta forma, convidamos você a semear não com tristeza ou por necessidade, mas, com alegria no coração, pois sabemos que o desejo de cada semeador que acompanha o nosso trabalho e nosso empenho ao longo dos anos na obra missionária é que avancemos sem temer as dificuldades, pois: O TRABALHO CONTINUA!


_______________________________


LEMBRANDO QUE O TEXTO EXPOSTO ACIMA FAZ PARTE DO PERFIL DA SEMIPA NO ORKUT E AS FOTOS FORAM COPIADAS E POSTADAS AQUI APENAS COMO FORMA DE DIVULGAÇÃO.

ADECIN - SANTA CEIA EM TEMPLO TEMPORÁRIO.



Como todos já sabem, a nossa igreja sede está interditada pela Defesa Civil do Rio de Janeiro, por conta de rachaduras no templo causadas por uma empreiteira que realiza obras nos fundos do nosso prédio. 

Até que tal empresa reestruture o templo e nos devolva em condições de realizarmos nossos cultos normalmente, a ADECIN estará alocada na Rua Joaquim Palhares, 105 - Estácio - Em frente estação de Metrô do Estácio no Rio de Janeiro/RJ.

SANTA CEIA NO PRÓXIMO DOMINGO, DIA 7 DE AGOSTO, ÀS 9 DA MANHÃ PARA TODAS AS CONGREGAÇÕES; E À NOITE, ÀS 19H, PARA A IGREJA SEDE.

4 de agosto de 2011

Palestra Missionária no Congresso Missionário ADECIN.



DIA 10 DE SETEMBRO (SAB. MANHÃ): PALESTRA MISSIONÁRIA com PR. JULIO CESAR DA SEMIPA. APÓS PALESTRA ALMOÇO;

DIA 11 DE SETEMBRO (DOM. MANHÃ): PALESTRA MISS./CANTORA ELISETE GOMES (CEARÁ);

(DOM. ÀS 14h) MARCHÁ CÍVICA DA INDEPENDÊNCIA COM TODA IGREJA.
VOCÊ ESTA CONVIDADO!!! VENHA!!!! PARTICIPE!!! JESUS TE AMA!
LEMBRANDO QUE POR CONTA DE NOSSO TEMPLO SEDE, EM CIDADE NOVA, TER SOFRIDO RACHADURAS E ESTAR INTERDITADO, POR CONTA DA OBRA DE UM EMPRESA PARTICULAR NO TERRENO AOS FUNDOS DO TEMPLO, OS CULTOS SERÃO EM NOVO LOCAL: 

RUA JOAQUIM PALHARES, 101 - ESTÁCIO (PRÓXIMO A ESTAÇÃO DO METRÔ ESTÁCIO). 

Maiores informações podem ser obtidas no site oficial da igreja ou no blog da SEMIADECIN (Secretaria de Missões):

3 de agosto de 2011

Como está a evangelização no Norte da África?

FOTO DO SITE:  presentes.pt
Estes dias, reli um informativo da Agência de Notícias Reuters que publicou há alguns anos um artigo a respeito do avanço do Evangelho na África. Neste informativo falava-se que missionários cristãos disfarçados tinham se infiltrado entre os muçulmanos do norte da África, em busca de novos convertidos, deixando alarmados os líderes islâmicos daquele local. 

Estes líderes consideram até hoje, qualquer missionário um ser que enfraquece e ameaça a ordem pública de qualquer país muçulmano. Missionários atuantes da região do Marrocos, segundo alguns outros artigos que lemos em jornais e revistas especializadas, afirmam que a região possui um número de cristãos marroquinos que tem crescido consideravelmente mesmo com toda a perseguição existente. 

Em 10 anos, apesar de não existirem números oficiais, o crescimento cristão no local é maior que o número de mortes divulgadas. Como evangelismo de rua é impossível e nos templos o risco é ainda maior, os missionários contam com a casa dos novos convertidos para ajudarem a espalhar a Palavra de Deus e contam ainda com estratégias como o uso da Internet e a transmissão de TV digital. 

Segundo o Alcorão, ninguém pode ser forçado a seguir uma religião, mas muitos muçulmanos acreditam que abandonar o Islamismo é dar as costas à família, à tribo ou ao país, e envergonhar os pais. Por conta disso, muitos novos convertidos muçulmanos afirmam que são vítimas de agressões de seus familiares e a maioria é expulso de casa. 

Os grupos de missionários atuantes nos países do norte da África para ali permanecerem, precisam estar ligados a Agências Missionárias e a parcerias bem relacionadas, pois os riscos de morte são iminentes. 

Os convertidos relatam histórias de perseguição muito apavorantes como terem suas casas incendiadas estando dentro, de serem alvo de tiros e de serem até perseguidos por habitantes de bairros locais que ameaçam decapitar um convertido se ele não renunciar à fé em Cristo Jesus. 

Líderes islâmicos para obterem a atenção da população local que recebe os pregadores da Palavra de Deus afirmam que os missionários exploram as pessoas, principalmente os pobres e doentes, rebaixando a sua religião com a intenção de conquistar o povo africano.

Vários servos de Deus continuam afirmando à várias revistas especializadas em Missões que estas versões são mentirosas e extremistas; negam explorar os fracos.
O que acontece é que muitos deles devem se manter na clandestinidade para não serem alvos de falsas denúncias e serem enviados à prisões federais, dificultando a saída do país no caso de um ataque. 

Desde que resolvemos escrever sobre missionários... Oramos a respeito de tais lugares do mundo que ainda não conhecem o Evangelho e que sofrem a resistência de líderes religiosos.

O que nos aborrece é quando ouvimos dos palestrantes, que vão em nossas igrejas, afirmarem que Missões na África é muito fácil de fazer para quem tem chamada. Absurdo, pois a chamada é parceira do treinamento e o treinamento é parceira do apoio das igrejas e de seus membros. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

RESPEITE OS CRÉDITOS!!!

Por favor, respeite os direitos autorais e a propriedade intelectual (Lei nº 9.610/1998). Você pode copiar os textos para publicação/reprodução e outros, mas sempre que o fizer, façam constar no final de sua publicação, a minha autoria ou das pessoas que posto aqui e que, muitas vezes, aqui escrevem. Afinal, algumas postagens do "Blog Uma Visão Missionária" trazem imagens de fontes externas como o Google Imagens e de outros blog´s.

Se alguma for de sua autoria e não foram dados os devidos créditos, perdoe-me e me avise (pahesa.andrade@gmail.com) para que possa fazê-lo. E não se esqueça de, também, creditar ao meu blog as imagens que forem de minha autoria.

Projeto MICRI e a Expedição Missionária Piauí

Chamado Missionário?

Aniversário do Blog!